Fechar rede
Siga-nos
Governo do Estado do Rio de Janeiro
Menu
Home Busca Menu Redes
 RJ Transplantes e HemoRio entram em quadra com a seleção brasileira de vôlei 19/05/2024 RJ Transplantes e HemoRio entram em quadra com a seleção brasileira de vôlei Crianças transplantadas acompanharam as atletas antes da vitória contra a Sérvia e torcedores puderam doar sangue no Maracanãzinho

O programa RJ Transplantes, da Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ), inspirou as jogadoras da seleção brasileira de vôlei na vitória por 3 a 0 contra a Sérvia, pela Liga das Nações, neste domingo (19/05) no Maracanãzinho. As atletas entraram em quadra acompanhadas de crianças transplantadas, como forma de chamar a atenção do público para a importância da direção de órgãos. A ação, em parceria com a Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), contou ainda com um estande, com diversos materiais educativos. Arlindo Arthur Oliveira, de 7 anos, e Isabel da Rosa Santos, de 4 anos, se emocionaram ao entrar de mãos dadas com as jogadoras da seleção.

Moradora da Tijuca, Marisa Romano, de 63 anos, se sentiu tocada com a abordagem da equipe do RJ Transplantes. “Meu pai precisou de transplante de fígado em 1993, mas infelizmente não conseguiu esperar. Acho muito importante esclarecer e divulgar a doação de órgãos para a população”, disse.

A paulistana Nayara Caroline dos Santos, de 33 anos, tem uma tatuagem no braço esquerdo com a frase ‘sou doadora de órgãos’. “Pensei na tatuagem porque se eu sofrer um acidente meus parentes já sabem da minha vontade. Sei que muitos órgãos se perdem por falta de informação”, afirmou a torcedora, que há 2 anos é incentivadora da causa.

Passando pelo estande, a estudante Shayane Quintanilha, de 25 anos, parou alguns minutos para conversar com a equipe. “Achei muito legal saber que temos esse programa no Rio de Janeiro. Todos deveriam ser doadores de órgãos”.

Ansioso para entrar em quadra pela segunda vez, Arlindinho contava os minutos para reencontrar as jogadoras. O menino, que recebeu um transplante de coração aos 2 anos, ganhou a bola do jogo das mãos da capitã Gabi, após a partida. “As jogadoras são muito legais. Estou muito feliz de estar aqui hoje”, disse o menino.

Doação de sangue

Em outra ação de conscientização para salvar vidas, a equipe móvel do Hemorio esteve presente no Maracanãzinho. Os torcedores puderam fazer a doação das 8h30 às 14h, em uma área reservada.

Doador habitual de sangue, Bruno Berguer aproveitou para fazer o bem. “Estou morando em São Paulo e não conheço direito a cidade. Foi excelente poder doar sangue aqui”, comemorou.

A jovem Laura Souza, de 26 anos, doou sangue durante um intervalo entre os sets. “Minha primeira doação foi com 16 anos e precisei da autorização dos meus pais. Já doei sangue muitas vezes”, disse.

A iniciativa da Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ) em parceria com a Superintendência de Desportos do Estado do Rio de Janeiro (Suderj) também será realizada no próximo domingo, 26 de maio, quando as seleções masculinas de vôlei do Brasil e Itália irão se enfrentar no mesmo local.

Telefones úteis