Fechar rede
Siga-nos
Governo do Estado do Rio de Janeiro
Menu
Home Busca Menu Redes
Secretaria de Estado de Saúde cria ferramenta digital que classifica risco de pacientes com dengue de forma automática 28/02/2024 Secretaria de Estado de Saúde cria ferramenta digital que classifica risco de pacientes com dengue de forma automática Plataforma é destinada para enfermeiros e médicos com objetivo de auxiliar no manejo clínico e ajudar a salvar mais vidas; link com acesso à ferramenta já tem mais de 3.400 acessos

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ) lançou, nesta semana, uma nova ferramenta para auxiliar enfermeiros e médicos no manejo clínico da dengue. Na plataforma digital, que já tem mais de 3.400 acessos, os profissionais preenchem os sinais e os sintomas apresentados pelos pacientes e, automaticamente, o recurso indica o grupo de risco no qual ele se encontra (A, B, C ou D - aumentando conforme a gravidade do caso). A partir daí, são dadas as orientações, como hidratação, observação ou internação, a serem adotadas. O principal objetivo da secretaria é minimizar o número de casos graves e óbitos causados pela doença.

"Sabemos que muitos médicos que estão na ponta nunca vivenciaram um cenário epidêmico de dengue. Essa ferramenta auxilia no que é mais importante em relação à dengue, que é o manejo clínico oportuno e adequado", afirma a secretária de Estado de Saúde, Claudia Mello.

O formulário foi criado por técnicos do Centro de Inteligência em Saúde (CIS-RJ). Ele é gratuito e está disponível no link: https://cisshiny.saude.rj.gov.br/pc/ ou pelo site: www.saude.rj.gov.br, no painel "Arboviroses"; "Atenção ao Paciente".

"Muitos casos graves podem ser evitados se a classificação de risco da dengue for bem feita e se aplicarmos o fluxograma corretamente. A alta incidência de casos da doença e o seu potencial para gravidade exigem da equipe multiprofissional domínio sobre o assunto. Nosso objetivo é facilitar esse conhecimento", pontua a secretária.

Numa doença febril aguda, sistêmica e dinâmica como a dengue, o manejo clínico do paciente precisa ser rápido e adequado. Para a secretária, a ferramenta contribui não apenas na precisão do quadro de cada enfermo, mas também na velocidade de resposta terapêutica.

“Essa plataforma é uma das estratégias que adotamos. Mas, associada a ela, seguimos com as capacitações de médicos e enfermeiros que atuam nas UPAs da rede estadual de saúde”, pontua.

Para ampliar ainda mais o alcance tanto da plataforma quanto dos treinamentos da SES-RJ foi firmada uma parceria com o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) para difundir as orientações de manejo clínico para médicos de toda a rede privada e pública do estado.

“Como órgão regulador da medicina, é nossa responsabilidade garantir que todos os profissionais estejam cientes e aderentes às diretrizes estabelecidas. Por meio dos canais de comunicação do Cremerj, conseguimos alcançar os mais de 70 mil médicos do estado e isso pode ser um grande diferencial para ajudar a salvar mais vidas”, disse o presidente da autarquia, Walter Palis.

Na terça-feira (21.02), o Governo do Estado lançou, junto à SES-RJ, a segunda etapa do Plano Estadual de Combate à Dengue. Foram anunciadas a criação do Observatório Dengue RJ, que utiliza tecnologia de ponta e uma equipe técnica de plantão no Centro de Inteligência em Saúde (CIS), dedicada a monitorar, apoiar e dar respostas rápidas às emergências relacionadas à doença nos 92 municípios do estado e a qualificação de 1.639 profissionais de saúde em plataforma digital da saúde para capacitação on-line. Outra meta é treinar 2 mil pediatras.

 

Vídeo com a Secretária de Estado de Saúde, Claudia Mello

 

https://drive.google.com/drive/folders/1gExqcppJpbAyogGDkNKb-y5abuxyJbkq?usp=sharing





 

Telefones úteis