Fechar rede
Siga-nos
Governo do Estado do Rio de Janeiro
Menu
Home Busca Menu Redes
Torcedores marcam gols de solidariedade durante campanha de incentivo à doação de sangue 17/09/2023 Torcedores marcam gols de solidariedade durante campanha de incentivo à doação de sangue Iniciativa do HemoRio e Suderj bate recorde histórico aos domingos, com 175 bolsas arrecadadas

Muitos torcedores do Flamengo marcaram gols de solidariedade neste domingo (17/09) ao participar da campanha “Sangue, amor e paixão” , inciativa do HemoRio e Suderj, que garantiu 100 convites para o primeiro jogo da final da Copa do Brasil entre Flamengo e São Paulo, no Maracanã. Os primeiros doadores de sangue, que compareceram à sede do HemoRio, saíram com as cortesias nas mãos e com a certeza de terem ajudado a salvar muitas vidas. Ao todo a campanha arrecadou 257 bolsas de sangue, batendo o recorde histórico de doações no domingo, que costuma ser de 42 bolsas.

O HemoRio abriu os portões às 7h para o início da coleta. Os primeiros doadores foram recebidos pela Banda do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN), que executou o hino oficial do Flamengo no pátio da unidade, em um clima de muita animação e solidariedade.

Todos os doadores foram encaminhados ao setor de triagem para entrevista prévia antes da doação. Aqueles que não conseguiram chegar a tempo receberam um presente em forma de agradecimento: foram distribuídas 200 camisas temáticas da campanha. Os convites são cortesias, com venda proibida.

O casal Marilene Pimentel, secretária, 45 anos, e Adelmo Oliveira, motoboy, 42 anos, foram respectivamente os números 1 e 2, sendo os primeiros a acessar o salão dos doadores. Moradores de Mesquita, na Baixada Fluminense, eles se revezaram desde sexta-feira (15) à noite na fila em frente ao HemoRio. “Quando terminei minhas entregas, fiquei aqui com a minha esposa. Estou muito feliz porque verei o jogo e ajudei a salvar vidas”, disse Adelmo, que também foi presenteado pela Suderj com uma cortesia para a filha Gabriela, de 7 anos, uma surpresa após a doação de sangue.

Doadora regular de sangue, Marilene incentivou o marido no gesto de solidariedade. “Estivemos várias vezes em casa, descansávamos um pouquinho e voltávamos. Sou doadora de sangue. Venho sempre aqui no HemoRio. Espero que mais pessoas possam doar, tem que doar sempre”, comemorou Marilene.

Morando há 2 anos no Brasil, o angolano Miguel Afonso, de 45 anos, ambulante, era um dos mais animados no salão dos doadores. Com uma enorme bandeira do Flamengo nas mãos, ele doou sangue pela primeira vez. “Doar é tranquilo e ajuda muita gente. Estou fazendo a minha parte”, afirmou o angolano.

A torcedora Priscila Souza do Nascimento, operadora de telemarketing, ainda não conhecia o Maracanã. “Meu coração está quase saindo pela boca. Valeu a pena o todo o esforço. Pude salvar uma vida, é gratificante, não tem preço”.

Representante do HemoRio, o médico clínico Vicente Januzzi enfatizou a importância da iniciativa, que reforçou os estoques da unidade. “Domingo é o dia em que registramos o menor movimento da semana aqui no HemoRio. As doações hoje vão ajudar muito a melhorar os nossos estoques. Realizamos a distribuição para cerca de 200 hemocentros. Durante os dias da semana, o hemocentro coleta, em média, 180 bolsas. Já no domingo, só recebe um terço, em torno de 40 bolsas. Queremos estimular a doação regular, independente da iniciativa”, ressaltou.

O presidente da Superintendência de Desportos do Estado do Rio de Janeiro (Suderj), Renato de Paula, comemorou o sucesso da ação. “É muito importante multiplicar a cultura de doação de sangue. Queremos levar para a população que ela pode salvar até quatro vidas com uma bolsa de sangue. Independente de mimo ou não é fundamental entender que para salvar vidas basta esse ato de solidariedade.”

A ação contou com o apoio da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro e da CET-Rio.

 

*Atenção às normas para doar sangue*


*Para quem já é doador*


É preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50kg, estar bem de saúde e portar um documento de identidade oficial com foto.


Jovens entre 16 e 17 anos podem doar sangue somente com autorização do pai e da mãe ou responsáveis legais. Devem portar ainda um documento de identidade do responsável e preencher formulário disponível no site do Hemorio.

 

*Para quem nunca doou*


A idade é entre 16 e 60 anos.


Não é necessário estar em jejum, apenas evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes.


Tatuagem e piercing impedem a doação por seis meses. Lembrando que a perfuração na região oral ou genital também é impeditivo para doações enquanto houver uso da peça.

Para mais detalhes ou informações, o doador pode consultar as redes sociais do Hemorio (@hemorio) ou ligar para o Disque Sangue de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7h às 17h, pelo número 0800 282 0708.

 

Link para fotos (crédito: Maurício Bazilio)

 

drive.google.com/drive/folders/16laZzMtucCwl1Y5AoRzF_jK1mZPK7GOy

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Telefones úteis